Dança, cantarola, cigana dos olhos profundos, do cabelo escuro. Bate o pé no chão de terra, chicoteia tua saia, arranca a flor vermelha e no teu cabelo guarde-a. Joga teu feitiço em quem te ver bailar, arranque almas num enredo que não se faz notar, leia o olhar de quem faminto quer te habitar. Cigana. Não deixes ninguém escapar das tuas entranhas.
Cigana (via docismo)
Só tristeza. E era tudo, não havia outra resposta. Me perguntaram o que eu estava sentindo: só uma tristeza que não passa.
Nem é nada não. É que as vezes bate uma tristeza sabe, uma vontade de ficar só, de ouvir uma música qualquer, e chorar por todo aquele choro acumulado.
Thiara Macedo.
3